Posted on

Cientistas encontraram traços de plástico em tecido humano

Microplásticos não estão apenas sufocando os oceanos. Agora eles estão no nosso corpo.

Indo pra uma praia perto de qualquer cidade grande, você pode pegar um punhado de areia e ver: milhares de pequenos fragmentos de plásticos conhecidos como microplásticos.

Microplásticos são fragmentos de plástico menores que 5mm, e geralmente são restos de embalagens que se partiram no meio ambiente. Mas como o plástico não é biodegradável por design, esses fragmentos nunca desaparecem completamente. Em vez disso, eles entram na nossa cadeia alimentar.

“Há evidências de que plástico está entrando nos nossos corpos, mas poucos estudos estavam procurando por isso”, escreveu Charles Rolsky, pós-doutorado e coautor do estudo.

Pesquisadores examinaram 47 amostras de tecido humano do fígado, baço, pulmões e rins — em todas as amostras, os pesquisadores encontraram traços de Bisfenol A (mais conhecido como BPA), um químico usado em embalagens de plástico de alimentos.

Essa descoberta pode parecer assustadora, mas os pesquisadores destacaram que não sabemos ainda se o BPA apresenta um risco de saúde para o corpo humano, ou se isso simplesmente indica uma tendência ambiental preocupante.

“Não queremos ser alarmistas, mas é preocupante que esses materiais não-biodegradáveis presentes em todo lugar podem entrar e se acumular em tecidos humanos, e não sabemos sobre os possíveis efeitos para a saúde disso”, escreveu Varun Kelkar, estudante de graduação e membro da equipe de pesquisa.

“Quando tivermos uma ideia melhor do que há nesses tecidos, podemos conduzir estudos epidemiológicos para acessar os resultados disso para a saúde humana. Assim, podemos começar a entender se há mesmo riscos para a saúde em potencial e quais eles são.”

Na contrapartida e buscando sair desse cenário, a produção orgânica no Brasil cresce 30% ao ano, esse aumento se justifica pela busca constante da população por uma alimentação mais saudável, livre de substâncias tóxicas.

E os benefícios não se limitam somente aos consumidores de produtos orgânicos, eles se estendem para as áreas de cultivo, é o que se conhece por plantio ecologicamente correto. As técnicas de produção orgânica incentivam a conservação do solo, preservação da água e redução de poluentes.

É verdade que esses alimentos possuem um preço mais elevado se comparados com outros. Mas se existir uma conscientização por parte dos consumidores, e estes passarem a comprar mais, automaticamente vai haver uma redução do preço final do produto.

Para saber se um alimento foi obtido pela produção orgânica, verifique o selo de certificação, ele é a garantia do consumidor de estar adquirindo produtos orgânicos isentos de qualquer resíduo tóxico. O selo passou a ser obrigatório em virtude da Lei (aprovada em 2003) que regulamenta a produção e comercialização da agricultura orgânica no Brasil.

Vamos relfetir sobre isso?

Fontes: Vice e Brasil Escola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *